domingo, 22 de novembro de 2015

CAMBRIDGE - UM DIA, DEZ DICAS!


(Todas as fotos deste post foram tiradas por Rossini ou Fliess)
A postagem de hoje vai para quem, de repente, está em Londres e quer conhecer uma outra cidade próxima. Temos boas opções ao redor da capital inglesa, com cidades menores, menos urbanas, no estilo mais countryside, porém igualmente charmosas.  As cidades universitárias acabam sendo as favoritas de muita gente, pois além do fácil acesso, são pequenas e é possível fazer muitas coisas por lá em um dia apenas. Como Vanda já conhecia Oxford, acabamos escolhendo Cambridge. Realmente, imperdível! Então, vamos logo começar as dicas.

#1 – Como ir de Londres a Cambridge?
A viagem pode ser feita de ônibus ou trem. Preferimos a última opção. Os trens diretos são bem mais rápidos do que as viagens de ônibus. Você pode partir das estações King Cross ou Liverpool Street. Dê preferência aos tickets OFF PEAK (horário entre 9:30 às 16:00).  São mais baratos. O nossos, por exemplo, custaram 15 libras, cada (ida e volta). A viagem de trem, além de mais rápida, é super confortável e oferece paisagens incríveis. Atenção, amigo brasileiro querido, não se atrase! Se seu trem estiver marcado para sair às 9:47, por exemplo, não tente embarcar às 9:48 – ele já terá partido! Pontualidade britânica NÃO é lenda.

#2 – Chegando em Cambridge...
Da estação principal de Cambridge, caminhe até o centro da cidade. São aproximadamente de 15 à 20 minutos. Prepare-se, pois ‘caminhar’ é o que você fará bastante nesse passeio. Você reconhecerá que está no centro de Cambridge quando der de cara com a imponente e maravilhosa King’s College.
(King's College)
#3 – Punting on River Cam.
Que tal começar o dia com um tour pelo rio Cam? Logo ali no centro, é possível encontrar várias “cooperativas” querendo te vender o tal passeio de barco. Na verdade, não exatamente um barco, mas algo que parece muito com uma gôndola – menos sofisticada do que as de Veneza – que cabem umas oito à doze pessoas, aproximadamente. Os preços variam. Pagamos algo em torno de 10 Libras, cada. Tentem barganhar. O italiano que nos vendeu os tickets nos deu um desconto de estudante. Punting significa ‘a técnica de impulsionar o barco com uma vara que alcança o fundo do rio’. Se você for mais jovem e tiver espírito mais aventureiro, pode dispensar o condutor e fazer “todo o trabalho sujo”. Aliás, nos divertimos horrores depois vendo os adolescentes tentando conduzir seus barcos e fazendo altas “barbeiragens”. Acho que não precisa nem dizer qual foi a nossa opção. Rsrsrsrs... O condutor que estava conosco era dos bons: bem-humorado e sabia muito sobre a história local, sobre as pontes, as faculdades e tudo mais.  O passeio é belíssimo e vale a pena! Recomendamos.
(Punting...)
(The Bridge of Sighs)
#4 – Stazione Italian Restaurant.
Depois do passeio de “gôndola genérica” que durou aproximadamente 45 minutos, estávamos famintos. O que não falta é lugar para comer no centro de Cambridge. A variedade é imensa!  Fomos de massa: um espaguete à carbonara para Vanda e um espaguete com frutos do mar para o Rossini. Ambos de lamber os beiços. De sobremesa, pedimos brownie com sorvete. Afinal, gorduxos de carteirinha não viajam para comer salada e peixe grelhado!!! Não é, gente?! Rsrsrsrs... :))

#5 – O ‘Corpus Clock’ da Corpus Christ College. 
O “Corpus Clock” é um relógio de parede totalmente diferente. Criado pelo horologista (por favor, não confundam com “urologista” rsrsrs...) John Taylor, o mesmo custou a “bacatela” de um milhão de LIBRAS ESTERLINAS. Detalhe: essa grana toda saiu do bolso do próprio. Foi inaugurado pelo físico Stephen Hawking em 2008. Nesta época, foi eleito pela Time a melhor invenção do ano. Você pode encontrá-lo na Corpus Christ College, exatamente na esquina da Bene't Street com a Trumpington. O relógio é, nada mais nada menos, que um disco de um metro e meio de diâmetro, todo em ouro de 24 quilates, com pequenos talhos que ascendem para marcar o tempo. Não possui ponteiros, nem números. Tem um gafanhoto gigante pousado no topo, chamado Chronophage - que em Grego quer dizer “comedor de tempo”.
Vocês não podem perder!
Se estiverem afim de saber como a engenhoca toda funciona, vejam o vídeo abaixo:

(Corpus Clock)
#6 – Pembroke College
Cambridge, como já mencionamos anteriormente, é uma cidade universitária. O que mais encontramos por lá são faculdades belíssimas construídas nos séculos XIV e XV, com seus jardins lindos e suas capelas maravilhosamente arquitetadas. Andar por essa cidadezinha é muito gostoso. Descobríamos lugares fascinantes, assim por acaso... Puro deleite! Numa dessas andanças, encontramos a Pembroke College (fundada em 1347 – quando só havia índio no Brasil e nem mesmo várias gerações antes do Cabral haviam nascido!!!). Entramos... Wow!!! Ficamos deslumbrados e fizemos algumas fotos. Querem ver?

(Pembroke College)
#7 – The Fitzwilliam Museum
Como vocês também já sabem, adoramos um museu. Então, não podíamos deixar de ir a um em Cambridge. O Fitzwilliam, com estilo arquitetônico neogótico, foi fundado em 1848 e é o museu de arte e antiguidades da Universidade de Cambridge. Não é um museu grande. Vocês não gastarão tanto tempo lá dentro. Seu interior é muito bonito e o acervo, também. A entrada é franca.
Está localizado à Trumpington Street. NÃO abre às segundas-feiras.

(The Fitzwilliam Museum)
#8 – The Queen’s College
Nem todas as faculdades estão abertas ao público. Em algumas, a entrada é cobrada. Escolhemos conhecer a Queen’s College com sua famosa “Ponte Matemática” (Mathematical Bridge) com mais de 250 anos. A Queen’s College foi fundada no século XV e é lindíssima. Sua capela e jardins são igualmente belos. A propósito, quando entramos na capela, a encontramos totalmente vazia na parte de baixo. Contudo, logo ouvimos uma música que vinha do órgão que fica na parte de cima (vide fotos) e algumas vozes que entoavam um tipo de canto gregoriano. Eram uns rapazes ensaiando. Foi uma sensação única, no mais puro estilo "estou no Céu".
A visita é uma excelente pedida e nos garantiu boas fotos. Esperamos que vocês gostem de todas que vamos postar aqui.
*Entrada por 3 Libras.
(Mathematical Bridge)
(Queens' College)
#9 – The Anchor (Pub)
E se você, como nós, é fã do Pink Floyd e curte uma cerva, aí vai uma boa dica: Que tal umas pints no Pub “The Anchor” antes de voltar pra casa? Fica na Silver Street, bem próximo à Queens’ College. O pub conta com uma vista para o rio Cam, de onde é possível ver gente indo e vindo nas “gôndolas” do punting. O Syd Barret da banda de rock britânica Pink Floyd era frequentador do bar nos anos 60 e dizem que era possível vê-los se apresentando no The Anchor com certa regularidade. Legal, né?
(The Anchor Pub)
#10 – Our Lady and The English Martys
No fim do dia, a caminho da estação para voltarmos a Londres, encontramos uma igreja chamada ‘Our Lady & The English Martys’. Fomos dar uma conferida. E nada como terminar esse tour por Cambridge com uma visita à um templo. Aproveitamos para fotografar e agradecer a Deus por essa maravilha que é estarmos lado a lado, conhecendo lugares que vão nos deixar saudade e vontade de voltar, tirando mil fotos, saboreando aventuras que nos inspiram a escrever um blog de viagem! Como a gente costuma dizer: “E mesmo que no final, ninguém leia, who cares??? O mais importante foi que vivemos tudo isso tudo JUNTOS!”
(Our Lady and The English Martys)

Ah! Em breve, uma postagem com dicas para
CINCO DIAS EM LISBOA