domingo, 25 de outubro de 2015

São Paulo: CARIOCAS EM SAMPA - ALGUMA COISA ACONTECE NO MEU CORAÇÃO...



(Todas as fotos deste post foram tiradas por Fliess ou Rossini)
Olá, pessoal! :))
A nossa terceira postagem NÃO é para quem vai a São Paulo pela primeira vez mas sim para quem, como nós, já esteve lá antes, porém, sempre que volta, se pergunta: “E o que posso fazer desta vez?” Falando em Sampa, vocês sabiam que os paulistanos não chamam a cidade de “Sampa”?! Isso é coisa de quem não é local. Temos família que mora em São Paulo há 8 anos e sempre que vamos visitá-los, aproveitamos para pensar em algo diferente para fazer nesta cidade, onde o que não faltam são opções sensacionais. Aqui não tem rivalidade boba! Só não nos ofereçam uma bolacha pois só gostamos de biXcoito! Rsrsrsrsrs... Bem, as dicas serão para três dias. Ah, mas se você está de dieta, aguarde uma próxima postagem porque esta aqui, ô meu, inclui comilança da boa!!!

Dia 1:
# Beco do Batman.
O Beco do Batman é famoso por ser uma galeria de grafite a céu aberto em vielas do bairro de Vila Madalena. Trata-se de desenhos coloridos, arte de rua com influência cubista e psicodélica. Dizem que as paredes do local são muito disputadas entre os artistas grafiteiros. As pinturas são constantemente renovadas. É possível encontrar uma arte nova a cada visita. Então, é isso aí: um ponto turístico diferente, “0800” e que vale conferir.
Endereço: Rua Gonçalo Afonso e Rua Medeiros de Albuquerque – Vila Madalena.
Estação de metrô mais próxima: Sumaré (Linha Verde)
  
# Av Paulista / Conjunto Nacional / Livraria Cultura / Café Viena
Da Vila Madalena, pegamos o metrô e partiu Avenida Paulista, um dos nossos lugares favoritos. Claro que sempre que vamos à Sampa, passeamos por esta avenida imensa, intensa, com suas torres de telecomunicação iluminadas no alto dos prédios, repleta de carros e gente indo e vindo, num movimento frenético e incansável. São bancos, empresas, hotéis, hospitais, museus, bares, restaurantes, e tantas outras coisas que fazem da Paulista um grande e importante centro financeiro, cultural e de entretenimento. 
Fomos até ao Conjunto Nacional, no número 2073, para matar a saudade da nossa livraria paulistana favorita, a Livraria Cultura. Da última vez, Antonio comprou para Vanda “O Paraíso São os Outros” de Valter Hugo Mãe. Desta vez, compramos um livro para a nossa afilhada, Ana Júlia (aka Jujuba) que nos acompanhava. E como não poderia faltar, fomos corajosamente disputar uma mesa no café da livraria, o Viena. Jujuba foi logo pedindo uma coxinha com suco de melancia. O casal viajante, que vos escreve, escolheu um expresso para acompanhar uma fatia de torta de chocolate meio amargo. Momento paulistano literário e delicioso...
Estação de metrô mais próxima: Paulista (Linha Amarela) ou Consolação (Linha Verde).

# CEAGESP / Festival de Pescado & Frutos do Mar
Fechando o dia, fomos jantar no ‘Espaço Festivais Gastronômicos Ceagesp’ na Vila Leopoldina para um festival de pescado e frutos do mar que acontece até 6 de dezembro. Lá você se serve à vontade por R$63,00 (bebidas e sobremesas à parte). O cardápio conta com mais de 30 opções de pratos deliciosos feitos com peixe e frutos do mar. Tem até comida japonesa, para quem gosta. O atendimento? Dos melhores! Logo de entrada, temos uma autêntica e simpática baiana nos servindo casquinha de siri e um mini acarajé dos deuses, segundo Rossini, “the best acarajé ever!”. Tem também caldinhos de sururu... Huuuuummmm... Muito bom! Nos esbaldamos com aqueles camarões gigantes assados e uma paella indescritivelmente gostosa servida num tacho de 1,20 m de diâmetro.
Endereço: Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1946 - Portão 4 - Vila Leopoldina
Domingos das 11:30 às 17:00 / Quartas e Quintas das 18:00 às 00:00 
/ Sextas e Sábados das 18:00 às 01:00


Dia 2:

# Estação da Luz / Museu da Língua Portuguesa
Pegamos o metrô e descemos na famosa Estação da Luz. A arquitetura desta estação ferroviária já é uma atração turística à parte. Para gente que curte fotografia, vale a pena! Pode rolar belas fotos. Logo ali do lado, temos o Museu da Língua Portuguesa. Imperdível para todo amante da língua mãe, da “palavra”, da comunicação, de prosa e poesia... Três andares de arte, criatividade e curiosidades a respeito desse nosso idioma fascinante! 
A entrada do museu não é cara, custa R$ 6,00 (meia, R$ 3,00). 
Funcionamento de terça à domingo, de 10:00 às 18:00 (mas a bilheteria fecha às 17:00). 

# Pinacoteca do Estado de São Paulo
Bem em frente à entrada do Museu, que fica ao lado da Estação da Luz, temos a Pinacoteca de São Paulo. Partimos para lá. Demos sorte, a entrada era franca até dia 18 de outubro. Depois disso, sai por R$ 6,00 (meia, R$ 3,00) e grátis aos sábados. Vimos exposições como “A Vida das Carrancas” e outra linda, “Paisagem na Arte – 1690/1998 – Artistas Britânicos na Coleção da Tate” (de Londres). 

# Rodízio de pizza e petiscos no Shopping Butantã
Ao fim do dia, quando voltávamos para casa, resolvemos dar uma paradinha no Shopping Butantã (que fica em algum lugar entre Butantã, Vila Sônia e Morumbi...). Estávamos todos morrendo de fome. Decidimos, então, comer um rodízio de pizza e petiscos no Restaurante Poncho Verde. Estava muito bom e com preço accessível.

Dia 3:

# Casa Mathilde – Doçaria Tradicional Portuguesa.
Começamos nosso terceiro dia muito bem, obrigada! Se você é como nós e ama os pastéis de nata portugueses e todas as demais guloseimas da Terrinha, aqui é parada certa! Ambiente bonito, super bem decorado, atendimento de primeira, e os melhores pastéis de nata que já comemos por aqui - só perdendo mesmo para os tradicionais pastéis de Belém ao lado do Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa. Ah! Em breve, roteiro e dicas para Lisboa, não percam! E, finalmente, para matar as saudades da Terrinha na Terra da Garoa, pedimos um expresso e pastéis de nata.
Endereço: Praça Antonio Prado, 76. / Estação de metrô mais próxima: São Bento.

# CCBB de São Paulo.
No caminho para o Mercado Municipal, paramos no Centro Cultural Branco do Brasil, que como o do Rio, também tem uma arquitetura belíssima. Já que a fila para a Exposição ComCiência da artista australiana Patrícia Piccinini era gigante, decidimos apenas entrar e apreciar algumas das obras da exposição que estavam disponíveis no saguão de entrada – o que já valeu muito a pena. 
Gostaríamos, no entanto, de ter tido tempo para ver tudo na íntegra.
Endereço: R. Álvares Penteado, 112.
  
# Mercado Municipal de São Paulo
Continuamos caminhando pelo centro paulistano. Nosso próximo destino, o Mercado Municipal. Aquilo lá é um paraíso (ou inferno?) gastronômico com seus pastéis deliciosamente recheados (e bota recheado nisso!!!), sanduíches de mortadela, queijos de todos os tipos, salames, presuntos, frutas de todas as cores e sabores (algumas que nunca provei, como a pitaya amarela por exemplo), vinhos, cervejas, petiscos, churrascos,... Um deus nos acuda! Nosso pedido: um big pastel de camarão com queijo e uma cerva geladíssima para acompanhar. Levamos queijos e vinhos para fazermos “uma festinha” à noite em casa. Não podemos deixar de mencionar a bela arquitetura do Mercado. Visita obrigatória para todos os turistas brasileiros e estrangeiros.

# Mosteiro de São Bento de São Paulo.
Do Mercado, fizemos todo o trajeto de volta pro Largo de São Bento, já que a igreja do mosteiro só abre às 16:00 para visitação. A igreja é belíssima mas é proibido fotografar - o que teria sido uma pena se não fosse a 'discreta e singela' cara de pau do Antonio que conseguiu fotos lindas. Então, finjam que vocês não sabem de absolutamente nada e apreciem as fotos. Mas não pensem vocês que só ficamos na ilegalidade. Aproveitamos para rezar, agradecer pelo nosso amor, pela nossa vida e pela vida de todos. Pedimos também a Deus que  a gente continue curtindo a vida bem juntinhos, conhecendo sempre lugares novos e fotografando tudo para depois postar no “O Blog de Nós 2”. Amém!


# kød Steakhouse em Pinheiros.
E para fechar com chave de ouro, vamos deixar aqui uma outra dica deliciosa: conhecer a Kød Steakhouse que fica à Rua Simão Álvares, 49, em Pinheiros. Gente, é muito bom!!! Lugar ideal para quem busca boa comida e bons drinks em um ambiente descontraído.
Pedimos Choripán de entrada, uma linguiça artesanal fatiada, chimichurri e uns mini pães Árabes. (De comer rezando!!!). Pena que esquecemos de fotografar... Depois pedimos um burger cuidadosamente gourmetizado. Escolhemos o Chuck - carne de hambúrguer suculenta, com gorgonzola, maionese de harissa, bacon crocante, cogumelos no shoyo e cebola tostada no Jack. (Um escândalo de gostoso!!!) - E fritas com tempero hot chilli.
E pra meter o pé na jaca por completo, pedimos o Blackout de sobremesa: bolinho de chocolate meio amargo, sem farinha, com calda de chocolate e menta e crocante de nozes. (Bom demais...).
Vale muito a pena conferir o kød Steakhouse em Pinheiros quando estiverem em Sampa.
Atendimento nota 10 e o Chef (Bruno Alves) também é muito legal!!!!
Fechado aos domingos.






Até o próximo post, meu povo!